terça-feira, dezembro 14

O segredo dos segredos se abriria para você.
A face do desconhecido
Oculto além do universo
Apareceria no espelho de sua percepção.
Na verdade, sua alma e a minha são a mesma
Este é o real significado de nossa relação
Entre nós não existe mais eu e você.
Acredite em mim. Tudo o que aparece
são as sombras e imagens.
A mão que as desenha é a mão do senhor
A pessoa não ama
A menos que ilumine sua alma
Ele não é um amante
A menos que gire como estrelas ao redor da lua
Se você olhar cuidadosamente, verá
que cada partícula no ar
Feliz ou triste está mergulhada
Dentro do sol do Universo Absoluto
Cada partícula está tão bêbada
e louca quanto nós.

União... é o jardim do Paraíso
Separação... é o sofrimento do Inferno
O amor permanente no universo
Sempre permanece coberto
E torna nu aquele que está coberto
Este é o ponto sutil.

Oh alma, quem é o seu amor? Você sabe?
Oh coração quem está dentro de você? Você sabe?
Oh carne, você busca um caminho para escapar
de forma desonesta.
Quem está puxando você para Ele?
Olhe. Quem está buscando por você?
O universo estava repleto de milagres.
O orvalho do amor estava misturado com a argila humana
Centenas de sacrifícios por amor
Entraram nas veias da alma e produziram uma única gota
Que é chamada de coração
Oh Amado, estamos mais próximos de você que o Amor.

Somos o solo no qual você anda
É razoável, na crença do amor,
Ver todos os universos através de você
Mas não ver você?
É necessário maturidade para o caminho do amor.
É necessário estar fora dos problemas da terra.
Curar a própria cegueira.
A verdade preenche o universo
Você tem olhos para vê-la?

Trecho do Poema - Tão louco quanto Nós


Por Rumi

PAZ - Brahma Kumaris

 
“A paz é calma e livre de distúrbio interior. Eu deixo que as situações e eventos sejam o que são e me torno um observador desapegado.
Eu deixo livremente que minhas vibrações de paz entrem na atmosfera, como uma brisa fresca acalmando as mentes cansadas. Eu sou pacífico e experimento o poder de Deus. Vejo o mundo todo em perfeita paz e altamente civilizado.”

domingo, dezembro 5

DIMENSÕES: GENTE, AMOR E LUZ...


O tempo não para...


E, nesses tempos modernos, a mente também não.
Por fora, é muita correria e ansiedade; e, por dentro, pouca luz.
E nisso, o coração vai para o ralo...

E dá-lhe lambança! Na vida, no amor, e na qualidade da manifestação.
Oh, Senhor! Abençoe essa gente que corre tanto, até de si mesma.
Ilumine-as, para que elas se toquem do grande vazio que sequestrou seus corações.
Projete um Grande Amor em suas vidas, para que elas percebam a canção do Eterno.
Ah, Papai do Céu! Tenha piedade dessa gente, que ressecou o próprio espírito.
E que deixou suas asas espirituais atrofiarem nas ilusões das luzes do mundo.
Essa gente, que anda com o olhar vazio, mesmo sendo centelhas do Eterno.
Que desperdício! Descer para viver na Terra e se atolar tanto na ansiedade.
Que bagaço, Pai do Céu! Ah, tenha piedade dessa gente...
Que, mesmo com estrelas nos olhos, ficou cega para a paz e a compreensão.

Essa gente que, mesmo falando de amor, ainda se perde em tantas lambanças...
E que sequer conhece a si mesma e, mesmo assim, ainda julga os outros.
Ah, se eu pudesse entrar em suas mentes, para dizer-lhes que viver não tem preço.

E que o amor é maior do que tudo. E que dá trabalho vencer a própria inércia.
E que só é feliz quem merece! Ah, Papai do Céu! Abençoe essa gente...
E lhes dê um Grande Amor. E aí, quem sabe, eles voltem a viver de verdade...
Para que a escuridão que sequestrou seus corações tenha fim, no centro da Luz.
Para que as escamas caiam de seus olhos e elas, enfim, despertem.

P.S.:
Há muitas dimensões...
A desse programa; a da vida eterna; e a da Luz.
Mas, a principal delas é a dimensão do Amor.
E essa é dentro de cada coração.
Ah, Papai do Céu!
Por favor, abençoe essa gente...
De todas as dimensões.
- Companhia do Amor –
A Turma dos Poetas em Flor.
(recebido espiritualmente por Wagner Borges)

terça-feira, outubro 19

Deus nos dá pessoas e coisas, para aprendermos a alegria... Depois, retoma coisas e pessoas para ver se já somos capazes da alegria sozinhos...
Essa... a alegria que ele quer.

João Guimarães Rosa

Não podemos viver de forma fracassada, temos que vencer, temos que superar nossos problemas, temos que justificar a nossa existência com realizações.



Daisaku Ikeda

Brahma Kumaris, pensamentos


CARIDADE
“Muitos vivem para si, poucos vivem para os outros. A aquisição está em dar, não em tomar.
 Se você pode secar as lágrimas de alguém, se você pode recuperar o sorriso de alguém, faça isso e nunca mencione o custo do seu ato.
Como diz o ditado: faça isso de tal forma que sua mão esquerda não saiba que sua mão direita está fazendo um ato de caridade.”

BK Suyash



ESTABILIDADE

"Quando há um furacão no mar o capitão experiente sabe que se o barco for conduzido para a periferia da tormenta será arremessado de um lado para outro.
Mas se ele chegar no olho do furacão, entrará num lugar de quietude.
 Quando tudo ao meu redor está mudando rápido e a pressão ficando mais intensa, o melhor lugar para procurar abrigo e refúgio não é fora, mas dentro do self. Nesse ponto fico em contato comigo, encontro força e estabilidade, para então sair e fazer o que precisa ser feito."


COMPANHERISMO
"Às vezes, enquanto trabalhando, você se sente só.
Você diz: Eu tenho tantas coisas para fazer mas eu estou tão sozinho! Se você fica cansado, por que você não torna Deus seu companheiro?
Por que você não torna aquele que tem mil braços seu companheiro?
Quando você e Ele estão combinados, o poder gerado é muito grande.
Ao invés de fazer apenas uma coisa, você será capaz de fazer mil coisas, porque Deus, aquele que tem mil braços, está com você."

terça-feira, julho 6

O Ego na bagagem


Quando o Criador nos deu a vida ofereceu o que havia de melhor; nascemos num lugar lindo, com paisagens que tiram o fôlego nos embevecendo a ponto de pararmos para refletir ou simplesmente admirar. Deu-nos a fartura de uma terra fértil e o frescor da abundância de água para nossa sobrevivência, mas também nos deu um grande desafio como aprendizado: o EGO.

Antes de falar desse "senhor", pense o que seria mais prazeroso: caminhar numa estrada plana apenas com um caderno de anotações nas mãos e uma lanterna ou subir uma encosta íngreme com uma mochila pesada nas costas? É assim nossa vida, podemos caminhar apenas com um caderno nas mãos onde podemos anotar tudo que vemos, sentimos e vivenciamos ou subir uma densa trilha com peso nas costas.

Essa carga é o nosso Ego, ele deixa cada vez mais pesada nossa bagagem, torna-se um fardo que em algum momento de nossa caminhada não conseguimos mais carregar e nos sentimos sem forças, sem fôlego, sem ânimo.
O Ego coloca na nossa mochila sentimentos de baixa estima, de desvalorização, de insegurança, de submissão, de inveja, de ciúmes, de arrogância, de autoritarismo, de mágoas, de raiva, as chantagens emocionais, as pieguices, a vitimação, a culpa, o medo, o egoísmo, a vingança, etc... etc...

Com esse fardo não conseguimos sair do lugar, é como se andássemos em círculos e não chegamos onde devemos chegar, ao contrário, enxergamos uma miragem, pois tudo é fruto da nossa ilusão, achando que chegamos ao nosso destino.

Depois dessa longa caminhada sentimos que não há prazer, estamos exauridos, sem forças e desanimados. Mas somos teimosos, aliás, o Ego nos faz ser assim e refazemos sempre o mesmo caminho múltiplas vezes e não vemos que esse caminho não leva a lugar algum, só desgasta, mas insistimos e incorremos nos mesmos erros por escolhermos a mesma trajetória.

A proposta é pararmos um pouco para respirar, deitar a cabeça sobre nossa consciência e abrir a mochila para tirar os excessos e optar por outra trilha para que nossa caminhada seja mais leve, mais produtiva e saudável.

Como fazer isso? É propor-se a desapegar-se das “quinquilharias” que estão dentro da mochila sem resistir achando que em algum momento vamos precisar de um desses padrões de comportamento novamente.

Posso assegurar que podemos viver sem eles, é verdade! Muitas dessas “quinquilharias” são velhas, fora de uso, não funcionam mais.

Muitos não percebem o que carrega na mochila, pois o Ego colocou coisas que nem sabemos que estão dentro da nossa carga, são as avaliações de terceiros sobre nós, são julgamentos dos outros que assumimos, pois “acreditamos” no que nos dizem e não nos olhamos com amor para evitar que essas influencias passem a fazer parte de nós . A sociedade que vivemos nos impinge, como tatuagens, padrões que não são nossos, não fazem parte de nossa Essência Divina.

Não é fácil nos livrarmos desse peso, estamos tão cansados que nem temos forças para removê-los, mas existem técnicas através de terapias,

Mas existem caminhos espirituais que não só nos ajudam a tirar esse peso, como também nos ensinam a olhar nossa vida com amorosidade, com segurança, com esperança através de nossa consciência ampliada, sem o véu de ilusões que nos impedem de enxergar o quanto somos amados pelo Criador e somos únicos para Ele, pois somos parte de sua Essência Divina Iluminada.

Quanto a caminhada em que apenas levamos um caderno de anotações e uma lanterna, que representa nossa Luz Interior, nesse caminho há muito aprendizado, há muito crescimento, só que sem obstáculos intransponíveis que nos desviam da reta final.

Nesse caderno podemos calma e equilibradamente ir anotando as experiências que vivenciamos e refletir sobre tudo que elas nos proporcionam como aprendizado/crescimento.

Os momentos de decepção, raiva, tristeza e dor farão parte das anotações, mas sem pesar. Explico: quando nos lembramos de fatos desagradáveis e a emoção emerge como se estivesse vivenciando novamente aquela dor, esse sentimento faz parte da mochila pesada que desequilibra nosso caminhar, mas se apenas lembramos do fato, sem a emoção pulsante, resta apenas a memória sem o sofrimento. Isso significa que um peso foi removido da mochila, a dor foi curada, faz parte das anotações simplesmente.

As lembranças, todas elas, devem ser anotadas, assim como as melhores de nossas vidas, elas representam cada km percorrido em nossa trajetória, assim como cada um representa a evolução do nosso aprendizado.

Se a estrada não nos levar diretamente ao nosso destino num primeiro momento, que por um descuido pegamos um atalho que nos faz atrasar nossa caminhada, não tem problema, da próxima vez podemos evitar esse caminho, pois sabemos que ele não tem saída.

As anotações são importantes, elas não nos deixam caminhar por trajetórias incertas, já sabemos, pois está anotado.

Esse caderno é nossa consciência ampliada, onde não nos iludimos com “paisagens” que são meras “miragens” que nos enganam e nos confundem. Esse caderno é nosso EU Superior, o nosso caminho real, que podemos seguir com confiança, acreditando que alcançaremos nossos objetivos, recriando novas metas e assim viajarmos pelo universo de sensações, sentimentos, vivências e prazeres os quais podemos compartilhar com outros viajantes em nossa trajetória de vida.
Somos seres livres quando nos unimos a nossa Essência Divina, enquanto formos reféns do Ego estaremos num cárcere de ilusões transitórias enquanto a verdadeira vida, que nos mantêm livres, pulsa em nossos corações.

Selma Dâmaso Crispim


domingo, junho 27

Incansabilidade

"Incansabilidade é nunca ficar desbotado, nunca permitir que nada remova a cor, a vivacidade, as variações, a beleza da vida.
E mais do que isso, significa nunca matar o amor.
Para isso você precisa ter tal amor pela vida para que não haja nem mesmo um recuo em direção ao passado ou anseio pelo futuro.
 O agora é belo e vale reunir energia para ele.
Tudo é importante!"

Brahma Kumaris

Om Shanti Om!

Família, prato difícil de se preparar


Família é prato difícil de preparar. São muitos ingredientes.
Reunir todos é um problema, principalmente no Natal e no Ano Novo.
Pouco importa a qualidade da panela, fazer uma família exige coragem, devoção e paciência.
Não é para qualquer um.
Os truques, os segredos, o imprevisível. Às vezes, dá até vontade de desistir.
Preferimos o desconforto do estômago vazio.
Vêm a preguiça, a conhecida falta de imaginação sobre o que se vai comer e aquele fastio.
Mas a vida, (azeitona verde no palito) sempre arruma um jeito de nos entusiasmar e abrir o apetite.
O tempo põe a mesa, determina o número de cadeiras e os lugares.
Súbito, feito milagre, a família está servida.
Fulana sai a mais inteligente de todas.
Beltrano veio no ponto, é o mais brincalhão e comunicativo, unanimidade.
Sicrano, quem diria? Solou, endureceu, murchou antes do tempo.
Este é o mais gordo, generoso, farto, abundante.
Aquele o que surpreendeu e foi morar longe.
Ela, a mais apaixonada. A outra, a mais consistente.
E você? É, você mesmo, que me lê os pensamentos e veio aqui me fazer companhia.
Como saiu no álbum de retratos? O mais prático e objetivo? A mais sentimental? A mais prestativa? O que nunca quis nada com o trabalho?
Seja quem for, não fique aí reclamando do gênero e do grau comparativo. Reúna essas tantas afinidades e antipatias que fazem parte da sua vida. Não há pressa. Eu espero.
Já estão aí? Todas? Ótimo. Agora, ponha o avental, pegue a tábua, a faca mais afiada e tome alguns cuidados.
Logo, logo, você também estará cheirando a alho e cebola.
Não se envergonhe de chorar. Família é prato que emociona.
E a gente chora mesmo. De alegria, de raiva ou de tristeza.
Primeiro cuidado: temperos exóticos alteram o sabor do parentesco.
Mas, se misturadas com delicadeza, estas especiarias, que quase sempre vêm da África e do Oriente e nos parecem estranhas ao paladar tornam a família muito mais colorida, interessante e saborosa.
Atenção também com os pesos e as medidas.
Uma pitada a mais disso ou daquilo e, pronto, é um verdadeiro desastre.
Família é prato extremamente sensível. Tudo tem de ser muito bem pesado, muito bem medido.
Outra coisa: é preciso ter boa mão, ser profissional. Principalmente na hora que se decide meter a colher.
Saber meter a colher é verdadeira arte.
Uma grande amiga minha desandou a receita de toda a família, só porque meteu a colher na hora errada.
O pior é que ainda tem gente que acredita na receita da família perfeita. Bobagem. Tudo ilusão. Não existe “Família à Oswaldo Aranha”, “Família à Rossini”, Família à “Belle Meunière” ou “Família ao Molho Pardo” em que o sangue é fundamental para o preparo da iguaria.


Família é afinidade, é “à Moda da Casa”.
E cada casa gosta de preparar a família a seu jeito.
Há famílias doces. Outras, meio amargas. Outras apimentadíssimas. Há também as que não têm gosto de nada, seriam assim um tipo de “Família Diet”, que você suporta só para manter a linha.
Seja como for, família é prato que deve ser servido sempre quente, quentíssimo.
Uma família fria é insuportável, impossível de se engolir.
Enfim, receita de família não se copia, se inventa.
A gente vai aprendendo aos poucos, improvisando e transmitindo o que sabe no dia- a -dia.
A gente cata um registro ali, de alguém que sabe e conta, e outro aqui, que ficou no pedaço de papel.
Muita coisa se perde na lembrança, principalmente na cabeça de um velho já meio caduco como eu.
O que este veterano cozinheiro pode dizer é que, por mais sem graça, por pior que seja o paladar, família é prato que você tem que experimentar e comer.
Se puder saborear, saboreie. Não ligue para etiquetas.
Passe o pão naquele molhinho que ficou na porcelana, na louça, no alumínio ou no barro.
Aproveite ao máximo.
Família é prato que, quando se acaba, nunca mais se repete.

de "O Arroz de Palma" de Francisco Azevedo, enviado pela queridíssima Su Alvim

sábado, junho 26

Saudades de Deus


Encontrei um homem com saudades de Deus. Um dia Deus foi importante em sua vida. Ocupava o primeiro lugar em sua existência. Tudo estava em ordem. Havia paz em seu coração. Paz, fruto de uma vida legal com o próximo e com Deus.
Ontem encontrei este mesmo homem.
O tempo passou. O tempo deu-lhe mais diplomas, mais habilidades profissionais, mais dinheiro, mais fama, mais gente querendo o seu trabalho, deu-lhe tanta coisa mais e tirou-lhe o essencial. Tirou-lhe a alegria de viver, o gosto de viver. Seus olhos diziam que algo lhe faltava. Suas palavras expressavam ansiedade. Suas mãos trêmulas refletiam conflitos, tensões de idéias e emoções, que o feriam dentro de si.
Eis, um homem, pisando o presente e vivendo voltado para o passado.
Há em cada um de nós um paraiso perdido, ou melhor, um paraiso a conquistar. Há em cada um de nós um Deus perdido, ou um Deus a conquistar. Não há maior saudade em nós do que a saudade de Deus. Saudade que se manifesta, que se expressa através da angústia, do vazio sem explicação, da sede da paz, da criança que sorri dentro da gente, da forma da pureza perdida. Encontrei um homem nessa situação.
Há um fila enorme de pessoas com saudades de Deus. Que as boates o confirmem, que o álcool o diga, que os gabinetes de psicanálise e psiquiatria o falem, que as doenças neuróticas o proclamem. na agitação de todos os dias, na falta de tempo para o mais necessário para o único necessário, na luta do dia a dia para alimentar o corpo, para a sobrevivência, surgem pequenas luzes de nostalgia, pequenos raios de saudades de alguém que jamais se deixa por esquecido. Porém nada resolve permanecer na saudade de Deus. Deus é para ser vivido no agora e no sempre.

Generosidade

A generosidade é a verdadeira riqueza. E para ser generoso, para partilhar, você não precisa de muita coisa. Para ser generoso, você só precisa partilhar qualquer coisa que tenha. Você pode não ter muito - essa não é a questão. Quem tem muito? Quem pode alguma vez ter o bastante?

Nunca é muito, nunca é o bastante. Você pode não ser absolutamente nada, pode ser apenas um mendigo da rua, mas ainda assim pode ser generoso. Você não pode sorrir quando um estranho passa? Você pode sorrir, pode dividir seu ser com o estranho, e então você é generoso. Você não pode cantar quando alguém está triste? Você pode ser generoso - os sorrisos nada custam.

Mas você ficou tão miserável que, mesmo antesde sorrir, pensa três vezes: sorrir ou não sorrir? Cantar ou não cantar? Dançar ou não dançar - aliás, ser ou não ser? Partilhe seu ser, se você não tiver nada; essa é a maior riqueza -todos nascem com ela. Partilhe seu ser! Estenda sua mão, dirija-se ao outro com amor no coração. Não considere ninguém como um estranho. Ninguém o é; ou todos são. Se você partilha, ninguém é; se não partilha, todos são.

Você pode ser alguém muito rico, mas um miserável, se não partilha. E então seus próprios filhos são estranhos, então sua própria esposa éuma estranha - porque como pode alguém se encontrar com um homem miserável? Ele está fechado, já está morto no seu túmulo. Como pode você caminhar em direção a um homem miserável? Se o fizer, ele foge. Está sempre com medo, porque sempre que alguém se aproxima, o compartilhar começa. Até um aperto de mão a pessoa miserável sente que é perigoso, porque, quem sabe? - uma amizade pode nascer daí, e então existe perigo.

Uma pessoa miserável está sempre alerta, em defesa, para não permitir que alguém chegue muito perto. Ela mantém todos à distância. Um sorriso é perigoso porque quebra as distâncias. Se você sorri a um mendigo na rua, a distância é quebrada, ele já não é um mendigo,tornou-se um amigo. E, então, se ele estiver com fome, você terá que fazer alguma coisa. É melhor ficar sem sorrir, é mais seguro, mais econômico, menos perigoso - nenhum risco nisso. Não é uma questão de partilhar alguma coisa, mas de simplesmente partilhar - qualquer coisa que você tenha! Se você não tem outra coisa, tem ainda um corpo quente - você pode se sentar perto de alguém e dar-lhe seu calor.

Você pode sorrir, dançar, cantar, rir eajudar o outro a rir. E quando duas pessoas riem juntas, seus seres se tornam um nesse momento; quando duas pessoas sorriem juntas, subitamente toda a distância se dissolve - vocês estão conectados.

Portanto, não pense que para ser generoso você precisa ser rico. É exatamente o contrário: se você quer ser rico, seja generoso. E tantas riquezas estão disponíveis sempre, tantas dádivas você traz com sua vida e leva outra vez quando morre. Você podia ter partilhado e, com isto, poderia ter consciência do quanto a existência o faz rico e como você vive pobre. E quanto mais você partilha, mais seu ser começa a fluir. Quanto mais ele flui, mais e mais novas fontes alimentam o rio, e você permanece renovado.

Somente um ser humano generoso é renovado. Um ser humano não-generoso, fechado, miserável, torna-se sujo - está propenso a ficar assim. Exatamente como um poço. Ninguém o usa, o poço não tem possibilidade de dar sua água a ninguém; então, o que acontecerá com ele? Novas fontes não o estarão suprindo, porque não há necessidade. A água velha ficará cada vez mais e mais suja; o poço inteiro estará morto. Águas frescas não estarão chegando até ele. É assim que tem acontecido a muitos de vocês.

Convide as pessoas a compartilhar de você. Convide as pessoas a beber de você. Esse é o significado do que Jesus diz: "Bebam de mim! Comam de mim"! Quanto mais você se alimenta dele, mais Jesus cresce. Quanto maisvocê bebe dele, mais as águas frescas fluem. As riquezas que a vida lhe doou não são limitadas, mas só um ser humano generoso pode saber disso. Elas são ilimitadas.

Você não é uma companhia de recursos limitados, mas de recursos ilimitados. Atrás de você, o Divino está escondido. Ninguém pode exauri-lo. Cante quantas canções puder, e você não será exaurido; até pelo contrário, melhores e melhores canções virão.

Osho

A sabedoria do silêncio, Tao


Fale apenas quando for necessário.

Pense no que vai dizer antes de abrir a boca.
Seja breve e preciso já que cada vez que deixas sair uma palavra,deixas sair ao mesmo tempo uma parte de seu Chi (energia). Desta maneira, aprenderás a desenvolver a arte de falar sem perder energia.
Nunca faças promessas que não possas cumprir.
Não te queixes, nem utilizes em seu vocabulário, palavras que projetem imagens negativas
porque se produzirão ao redor de ti, tudo o que tenhas fabricado com tuas palavras carregadas de Chi.
Se não tens nada de bom, verdadeiro e útil a dizer, é melhor se calar e não dizer nada.
Aprenda a ser como um espelho: observe e reflita a energia.

O próprio Universo é o melhor exemplo de um espelho que a natureza nos deu, Porque o universo aceita, sem condições, nossos pensamentos, nossas emoções, nossas palavras, nossas ações, e nos envia o reflexo de nossa própria energia através das diferentes circunstâncias que se apresentam em nossas vidas.
Se te identificas com o êxito, terás êxito. Se te identificas com o fracasso, terás fracasso.
Assim, podemos observar que as circunstâncias que vivemos são simplesmente manifestações externas do conteúdo de nossa conversa interna.
Aprende a ser como o universo, escutando e refletindo a energia sem emoções densas e sem prejuízos.
Porque sendo como um espelho sem emoções aprendemos a falar de outra maneira.Com o poder mental tranquilo e em silêncio, sem lhe dar oportunidade de se impor com suas opiniões pessoais e evitando que tenha reações emocionais excessivas,simplesmente permite uma comunicação sincera e fluida.

Não te dês muita importância, e sejas humilde,pois quanto mais te mostras superior, inteligente e prepotente, mais te tornas prisioneiro de tua própria imagem e vives em um mundo de tensão e ilusões.
Sê discreto, preserva tua vida íntima,desta forma te libertas da opinião dos outros e terás uma vida tranquila e benevolente invisível, misteriosa, indefinível, insondável como o TAO.
Não entres em competição com os demais, torna-te como a terra que nos nutre que nos dá o necessário.
Ajuda ao próximo a perceber suas qualidades, a perceber suas virtudes, a brilhar.O espírito competitivo faz com que o ego cresça e, inevitavelmente, crie conflitos . Tem confiança em ti mesmo.preserva tua paz interior evitando entrar na provação e nas trapaças dos outros.

Não te comprometas facilmente, se agires de maneira precipitada sem ter consciência profunda da situação,vais criar complicações.

As pessoas não têm confiança naqueles que muito facilmente dizem “sim” porque sabem que esse famoso “sim” não é sólido e lhe falta valor. Toma um momento de silêncio interno para considerar tudo que se apresenta a ti e só então tome uma decisão.
Assim desenvolverás a confiança em ti mesmo e a Sabedoria.
Se realmente há algo que não sabes, ou não tenhas a resposta a uma pergunta que tenham feito, aceite o fato. O fato de não saber é muito incômodo para o ego porque ele gosta de saber tudo, sempre ter razão e sempre dar sua opinião muito pessoal.

Na realidade, o ego nada sabe simplesmente faz acreditar que sabe.
Evite julgar ou criticar, o TAO é imparcial em seus juízos não critica a ninguém, tem uma compaixão infinita e não conhece a dualidade. Cada vez que julgas alguém a única coisa que fazes é expressar tua opinião pessoal, e isso é uma perda de energia, é puro ruído. Julgar, é uma maneira de esconder tuas próprias fraquezas.

O Sábio a tudo tolera, sem dizer uma palavra.

Recorda que tudo que te incomoda nos outros é uma projeção de tudo que não venceu em ti mesmo.
Deixa que cada um resolva seus problemas e concentra tua energia em tua própria vida.Ocupa-te de ti mesmo, não te defendas.
Quando tentas defender-te na realidade estás dando demasiada importância às palavras dos outros, dando mais força à agressão deles. Se aceitas não defender-te estarás mostrando que as opiniões dos demais não te afetam, que são simplesmente opiniões, e que não necessitas convencer aos outros para ser feliz.

Teu silêncio interno o torna impassível.
Faz uso regular do silêncio para educar teu ego que tem o mau costume de falar o tempo todo.
Pratique a arte do não falar. Toma um dia da semana para abster-se de falar. Ou pelo menos algumas horas no dia, segundo permita tua organização pessoal.
Este é um exercício excelente para conhecer e aprender o universo do TAO ilimitado, ao invés de tentar explicar com palavras o que é o TAO.

Progressivamente, desenvolverás a arte de falar sem falar, e tua verdadeira natureza interna substituirá
ttua personalidade artificial, deixando aparecer a luz de teu coração e o poder da sabedoria do silêncio.

Graças a essa força, atrairás para ti tudo que necessitas para tua própria realização e completa liberação. Porem tens que ter cuidado para que o ego não se infiltre…
O Poder permanece quando o ego se mantém tranquilo e em silêncio.Se teu ego se impõe e abusa desse Poder o mesmo Poder se converterá em um veneno, e todo teu ser se envenenará rapidamente.


Fica em silêncio, cultiva teu próprio poder interno.
Respeita a vida dos demais e de tudo que existe no mundo. Não force, manipule ou controle o próximo.
Converta-te em teu próprio Mestre e deixa os demais serem o que são, ou o que têm a capacidade de ser. Dizendo em outras palavras, viva seguindo a vida sagrada do TAO.


Texto taoísta

quarta-feira, junho 9

Pensamento

"Eu estou aqui só para ser verdadeiramente útil.


Eu estou aqui para representar Aquele Que me enviou.

Eu não tenho que me preocupar com o que dizer ou o que fazer, porque Aquele Que me enviou me dirigirá.

Eu estou contente em estar aonde quer que Ele deseje, sabendo que Ele vai comigo.

Eu serei curado na medida em que eu permitir que Ele me ensine a curar."

O Táxi

Sou o motorista do táxi agora.
Estou aqui, parado no ponto, só para ser verdadeiramente útil a quem vier.
Estou aqui para representar o patrão, que é dono do táxi, e aqui me enviou.
Chega então o passageiro.
Que bom que sou motorista de táxi, assim já aprendi, que aqui tudo é passageiro.
Real mesmo é o serviço que presto, isto permanece, passageiro não.
É, é mesmo, aqui tudo é passageiro.
-Boa tarde, posso ser útil?
-Para o aeroporto por favor.
-Não tenho que me preocupar, com o que dizer ou fazer, porque o passageiro me dirigirá. Somente piloto o táxi.
Tenho de estar disponível, e não me preocupar.
-Vá pela Avenida 'A', por favor.
-Sim Senhor! Estou contente de estar em sua companhia, sinto-me feliz de estar prestando este serviço ao senhor. Gosto também de ir pela Avenida 'A'
-O Senhor é um gentil motorista.
-Estou representando meu patrão, ele sim é muito gentil, assim, como o represento, procuro ser o mais gentil possível, senhor.
-Parece ser muito feliz.
-Sim, estou contente por fazer o que faço, senhor.
-Viajo muito em táxis, mas é raro encontrar um motorista tão saudável.
-A medida em que me permito estar mais contente com o que faço, me sinto mais curado de meus males, senhor. Estou aqui para prestar um seviço, escolhi ser motorista de táxi, devo fazê-lo da melhor maneira possível, assim terei mais alegria, estarei mais saudável, senhor.

Se você é tão disponível a prestar o serviço que oferece, seja ele qual for, aceite nosso convite para participar deste empreendimento.
Você pode continuar fazendo exatamente o que já faz, e agora, além da prosperidade que passará a ter em seu ofício, também será contemplado com um depósito em uma poupança especial, a qual se denomina "Tesouro no Céu".
As entrevistas serão agendadas em qualquer horário, basta dirigir-se ao andar superior de sua consciência, que fica um palmo acima de sua cabeça, elevar as mãos e aceitar a senha que lhe será fornecida.
Só agora estar atento para a chegada dos passageiros.
Oferecemos ainda, convênio com plano de saúde, com plano especial de Paz e Alegria. E a cura garantida de todos os medos, na medida em que se permitir.

by Jorge Luiz Brandt

terça-feira, junho 8

Diálogo


“Desculpe-me, disse um peixe a outro. - você está mais velho e com mais experiência do que eu, e provavelmente poderá ajudar-me.
Diga-me: onde posso encontrar o que chamam Oceano?
 Eu tenho-o procurado por toda parte, sem resultado.‘O Oceano’, respondeu o velho peixe - é onde você está justamente agora.
 Isto? Mas se isto nada mais é do que água...
O que eu procuro é o Oceano, replicou o jovem peixe, totalmente decepcionado, enquanto continuava nadando para procurá-lo em outra parte”.

Não se trata de sair para buscar Deus, mas dar-se conta de que Ele já está dentro.

Santo Agostinho diz: “Não vás para fora: a Verdade habita em teu interior

A arte da entrega

“... A mente está sempre em conflito com uma coisa ou outra; ela precisa de conflito para existir. Ela só consegue existir no conflito e através do conflito. Ela é uma guerra constante, ela é violência. Ou ela briga com os outros ou começa a brigar consigo mesma, mas uma coisa é certa, ela não consegue existir sem briga. Isso é a sua própria respiração.

No momento em que você pára de brigar, a mente começa a desaparecer naturalmente, e o desaparecimento da mente é o aparecimento de Deus. O desaparecimento da mente é o desaparecimento de você enquanto entidade separada do todo. Então o todo toma posse de você, você fica inundado pelo todo. E essa experiência de estar inundado pelo todo é a busca. Chame isso de satori, samadhi, iluminação, realização, libertação, salvação – estas são somente palavras, elas apenas descrevem aspectos da experiência. Na verdade, nenhuma palavra consegue descrever a experiência, ela está além das palavras! Ela é um sabor, um gosto.

Nós podemos nomear um sabor, mas não conseguimos descrevê-lo. Por exemplo, baunilha: você pode nomear, mas não consegue descrever. É uma experiência e o nome é apenas um indicador. O mesmo acontece com o samadhi, com iluminação, Deus; esses são apenas nomes dados para alguma experiência tremenda – a experiência em que o experienciador não está mais ali. É por isso que ela é tremenda, porque ela não está confinada por qualquer limitação. Não existe observador algum nela, nenhum conhecedor nela. Ela é puro conhecer, é total experiência; o próprio experienciador se dissolveu nela.

E o caminho para isso é a entrega. Pare de brigar. E para parar de brigar, apenas uma compreensão é necessária, porque isso cria miséria, nunca traz felicidade. Por isso, parar não é um problema. O único problema é compreender como nós estamos criando a nossa própria miséria. O ego é um auto-criador de inferno. A mente é nossa própria criação e ela é um pesadelo, um constante pesadelo em andamento.

Quando a mente não está mais ali, pela primeira vez se percebe o quanto a vida é bela, quanta bênção. Daí começa a celebração. Aprenda a estar no estado de deixar as coisas acontecerem.”

Osho